Connect with us

Amazonas

Sidney Leite e Átila Lins são os deputados do Amazonas que mais gastaram com aluguel de jatinhos

Published

on

Manaus (AM) – Deputados federais eleitos para defender os interesses dos estados utilizam verba pública para custear viagens particulares de jatinho e outros transportes aéreos para dar andamento aos trabalhados legislativos. E o parlamentar que mais usou o serviço foi o deputado pelo Amazonas Sidney Leite (PSD-AM), que até o momento, declarou ter destinado R$ 157.700 para aluguel de aeronaves, de acordo com um levantamento feito pelo Metrópoles, via Câmara dos Deputados.

Conforme o portal, entre fevereiro e junho deste ano, deputados federais gastaram ao menos R$ 916 mil de verba pública com locação ou fretamento de aeronaves.

Embora as viagens tenham sido custeadas por meio da cota para o exercício da atividade parlamentar (Ceap), um benefício mensal concedido a deputados e senadores para despesas do exercício do mandato, como transporte, alimentação e segurança, parlamentares podem fazer viagens em voos comerciais com a verba da cota, como é o caso do deputado Amom Mandel (Cidadania) que foi o parlamentar do país que mais economizou os recursos da Ceap no mesmo período.

No levantamento realizado pelo Metrópoles, foram consideradas notas fiscais entregues pelos parlamentares à Câmara dos Deputados e identificadas como serviço de “locação ou fretamento de aeronaves”.

Lista

O campeão de gastos com o serviço foi o deputado Sidney Leite (PSD-AM), seguido por Átila Lins, que também representa o Amazonas pelo PSD. Átila  gastou R$ 131.560 com fretamento ou locação de aeronaves, segundo o que já foi declarado à Câmara.

Viagens mais caras

Além de liderar a lista com os maiores gastos do semestre, o deputado Sidney Leite lidera o ranking das viagens mais caras.

Para se ter uma ideia, em maio deste ano, o parlamentar fretou uma aeronave monomotor turbo hélice, do tipo Caravan PS-CTB, para percorrer o trecho Manaus – São Paulo de Olivença. Os municípios têm aproximadamente 990 km de distância um do outro.

Na nota fiscal enviada à Câmara, consta a informação de que a viagem ocorreu em 31/5 e custou R$ 68,4 mil. O documento fiscal foi gerado em 1º de junho.

 

 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *