Connect with us

Amazonas

Bancada do AM e Wilson Lima pressionam Planalto por pavimentação da BR-319

Published

on

Manaus (AM) – Após os inúmeros prejuízos e isolamento registrados em muitos municípios do Amazonas em virtude da seca vezera que castiga o Estado, o governador Wilson Lima (União) juntamente com a bancada federal do Amazonas formado por trê senadores e 8 deputados federais, pressionaram o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckim (PSB), e cobraram celeridade na pavimentação da BR-319, única ligação terrestre do Amazonas e Roraima com as demais regiões do Brasil.

Na reunião ocorrida na última quarta-feira (18), em Brasília, além do vice-presidente, estiveram presentes: o ministro da Casa Civil, Rui Costa; das Relações Institucionais, Alexandre Padilha; dos Transportes, Renan Filho; Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho; Desenvolvimento Social, Wellington Dias e da Integração Regional, Waldez Góes.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que já coordenou a pasta nos dois primeiros governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e é frequentemente apontada pela bancada como um dos empecilhos para a pavimentação da rodovia, também participou do encontro.

Wilson cobrou “comprometimento político” do governo federal no avanço dos estudos para a perenização da rodovia, previstos no Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

“A gente precisa entender o seguinte: há determinação do governo federal, há interesse efetivo de que a BR-319 caminhe? É complexo. Mas é impossível? Não é impossível. Então é necessário que seja garantido o direito que é básico do cidadão do estado do Amazonas”, afirmou Lima.

Em resposta, o vice-presidente confirmou que os estudos estão previstos no Novo PAC. “O Ministério dos Transportes já instalou um grupo de trabalho e vai atuar para chegar a uma definição o mais rápido possível”, afirmou Alckmin.

Não e nenhuma novidade que a conclusão da BR-319 se arrasta há décadas por pressão de ambientalistas ao alegarem que a obra acarretará em mais grilagem de terra e o aumento de crimes contra o meio ambiente. Entretanto, com a estiagem severa – em que 59 municípios já decretaram situação de emergência, um em alerta e dois em normalidade – o estado fica cada vez mais isolado, trazendo inúmeros prejuízos sociais e econômicos em todo o estado.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *