Connect with us

Internacional

Milei, ultradireitista que defende dolarização na Argentina, é o grande vencedor nas eleições primárias

Published

on

De forma surpreendente, contrariando as pesquisas que indicavam uma perda de fôlego de sua candidatura, o ultradireitista Javier Milei saiu das eleições primárias na Argentina como grande vencedor das eleições primárias e maior força política do país.

Às 6h, no horário de Brasília, com 97,39% das urnas apuradas, Milei estava acima de todas as pré-candidaturas individualmente. Sua sigla, La Libertad Avanza, teve mais votos do que todas as demais coalizões.

O partido de Milei tinha 30,04%. O Juntos por el Cambio, do ex-presidente Mauricio Macri, alcançava 28,28%.  Patricia Bullrich conquistou a vaga de candidata à Casa Rosada pelo grupo de centro-direita.

Ex-ministra de Segurança Pública de Macri, ela superou o prefeito de Buenos Aires, Hoario Larreta, com mais de 1 milhão de votos de diferença.

A coalizão governista Unión por la Patria conquistava 27,27% dos votos e se posicionava apenas como terceira força. O ministro da Economia, Sergio Massa, tinha folga na maioria nessa corrente fazendo 3,6 milhões de votos a mais que Juan Grabois.

Embora tenha sido escolhido como pré-candidato do governo, Massa mantém distância do chamado “kirchnerismo raiz”. O nome dele só foi ungido porque, para o grupo político próximo do presidente Alberto Fernández e da vice Cristina Kirchner, ele seria o único minimamente competitivo nas eleições presidenciais de outubro.

O governo argentino demorou mais de quatro horas, após o fechamento das urnas, para divulgar o primeiro boletim oficial com os resultados parciais. Foi duramente criticado por diversos segmentos políticos, pela mídia local e observadores internacionais.

Milei, com quase um terço da preferência do eleitorado nacional, superou seus rivais em boa parte das províncias do país.

Cai por terra a ideia, disseminada entre muitos analistas e consultores políticos, de que era um fenômeno popular apenas em Buenos Aires e no entorno da capital.

Dizendo-se libertário e apresentando-se como antissistema, Milei defende a dolarização da economia e a extinção do Banco Central. Ele já prometeu legalizar o comércio de órgãos, quer taxar a educação e saúde públicas e ataca supostas ameaças comunistas em seus discursos.

Com informações da CNN Brasil.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *