Connect with us

Opinião

Opinião – Dividir para conquistar – a briga no segundo turno pela Prefeitura de Manaus 2024

Published

on

Os manauaras têm uma difícil tarefa: a escolha do próximo dirigente da cidade para 2024. Não faltam candidatos à disposição para disputar a tão sonhada vaga de prefeito da 5ª maior capital do Brasil.

Os mais cotados são David Almeida (Avante), que tenta a reeleição; Amom Mandel (Cidadania), que aparece em segundo nas pesquisas; Roberto Cidade (União), o presidente ad eternum da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam); e a chapa composta pelo Partido Liberal (PL), Alberto Neto e Coronel Menezes.

As demais candidaturas são de menor porte e podem não se concretizar ou se aliar entre si ou aos candidatos mais robustos descritos acima, como é o caso de Ricardo Nicolau (SDD), que já vem conversando com o Partido dos Trabalhadores e com Amom.

Maria do Carmo (Novo), Dr. Tuyuka (PDT), Wilker Barreto (Sem Partido) e o candidato do PT, possivelmente Sinésio Campos, também devem participar do processo eleitoral.

Mas todos parecem seguir a mesma máxima romana do império de César: divide et impera – dividir para conquistar. Tantas candidaturas fortes dividem o eleitorado e abrem possibilidades múltiplas de composição.

Uma população que ainda está indecisa, segundo pesquisa do IPEN (Instituto de Pesquisas do Norte), 52,1%, mais da metade de Manaus, ainda não sabe em quem vai votar.

Estratégia

Uma fonte me confidenciou que busca apoio de seu partido (um dos maiores do Brasil) para apoiar Roberto Cidade. O candidato ainda não decolou nas pesquisas e precisa do maior grupo de partidos aliados possível, caso siga na disputa.

Entendendo que, devido à atual conjectura, a melhor opção é o partido lançar candidatura própria avulsa, declarando apoio a candidatos de outra sigla apenas no segundo turno.

Seguindo a estratégia de dividir para conquistar, com várias candidaturas simultâneas, os votos são pulverizados entre 5 ou mais candidatos, o que deixa a eleição mais acirrada e os apoios mais importantes. Apenas 3% de votos podem mudar totalmente o destino do segundo turno e da eleição.

No detalhe

Em 2022, foi uma diferença de 2,43% que deixou de fora Amazonino Mendes (in memoriam) da disputa para o Governo do Amazonas, dando lugar a Eduardo Braga (MDB).

Nas eleições de 2022, David se elegeu prefeito com uma diferença de apenas 2,54% contra Amazonino.

Apoio de Ouro

A tendência é a mesma para 2024. A eleição será vencida no detalhe, com os apoios dos outros candidatos sendo negociados a peso de ouro.

A exemplo de 2020, quando Amazonino terminou o primeiro turno na frente com 24,31% e David Almeida logo atrás com 22,74%.

Contudo, Amazonino não pôde contar com o apoio de ninguém no segundo turno. Zé Ricardo (PT), o terceiro mais votado do pleito, decidiu não apoiar ninguém; Coronel Menezes (PL), Alfredo Nascimento (PL) e Marcelo Amil (PCdoB) seguiram a mesma linha de neutralidade.

Alberto Neto (PL) e Ricardo Nicolau (SDD) declararam apoio a David. O apoio surtiu efeito e garantiu a virada e a eleição do atual prefeito.

Segundo Turno

David Almeida é favorito na disputa. Em Manaus, nunca aconteceu de um prefeito que busca reeleição não ir para o segundo turno.

A briga maior é para quem será o adversário de David.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *