Connect with us

Amazonas

Vereador pede intervenção na Águas de Manaus

Published

on

Manaus (AM) – A falta de cumprimento acordado entre o poder público municipal e a concessionária Águas de Manaus, motivou o vereador Sassá da Construção Civil (PT) pedir intervenção da empresa, nesta segunda-feira (6), durante sessão plenária na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Na manhã do último sábado (4), Dionathan Raven Lemos de Souza, de 30 anos, morreu esmagado por uma retroescavadeira enquanto realizava serviço de encanamento no bairro Cidade Nova, zona Norte da capital.

O vereador lamentou mais uma morte de um trabalhador e disse que tem relatos de vários acidentes de trabalho por falta de segurança nas empresas terceirizadas pela Águas de Manaus.

“O trabalhador se acidenta e a Águas de Manaus só está preocupada em colocar esgoto na cidade para cobrar mais caro, para cobrar a taxa de esgoto, tá preocupada com o serviço do trabalhador e não está preocupada com a vida do trabalhador”, cobrou Sassá.

O parlamentar afirmou que deve ser feito um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que a empresa assuma o compromisso a fim de que todas as empresas e trabalhadores tenham os mesmos direitos.

“Eu queria fazer um apelo a esta Casa e a vossas excelências para pedir a intervenção da Águas de Manaus com as empresas terceirizadas”, disse o vereador.

O Projeto de Resolução que aprovou o Relatório Final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Águas de Manaus foi aprovado e promulgado em junho deste ano na CMM com uma TAG que prevê a qualidade dos serviços de asfaltamento e reconstrução de calçadas e meios-fios; campanha educativa e informativa para esclarecer a diferença entre esgotamento e drenagem.

O termo também reduziu a tarifa de esgoto em 25% para usuários já existentes na época da aprovação. Para novos consumidores, é cobrada uma taxa de 50% sobre o valor da ligação, podendo ser parcelado em até 80 vezes.

Vale lembrar

Uma proposta em 31 de agosto de 2021 do petista, para abertura de CPI, ficou parada na CMM por ter assinaturas insuficientes para a sua instalação. Dos 41 vereadores, apenas 13 aprovaram a instalação da comissão.

A proposta ainda foi manchada após a acusação do colega Marcelo Serafim (PSB) de que Sassá estaria tentando extorquir a Águas de Manaus em troca de realização de obras pela empresa.

Com informações do Amazonas 1.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *